sexta-feira, 3 de novembro de 2017

VÊ AQUI O QUE O BENFICA LUCROU COM AS TRANSFERÊNCIAS

O relatório e contas da SAD do Benfica detalha os valores recebidos com as vendas de jogadores no último ano, sendo que a maior parte delas já são conhecidas. Nesse sentido, destacam-se os valores com as transferências de Nelson Oliveira e Sidnei.

Ora o central brasileiro foi quem mais rendeu, tendo deixado em definitivo a Luz por 6,5 milhões de euros. Já o avançado saiu por 3,5 milhões, mas neste caso o Benfica vendeu apenas 70 por cento do passe, mantendo portanto 30 por cento.

Marçal, de resto, saiu para o Lyon por 4,5 milhões de euros, como já se sabia.


Conhecidos eram também os valores das vendas de Gonçalo Guedes, Lindelof, Ederson e Hélder Costa.

Gonçalo Guedes foi transferido por 30 milhões, tendo o Benfica apurado um lucro contabilístico de 26 milhões: este é contudo um valor contabilístico, lá está, não estando relacionado com o dinheiro que efetivamente ficou nos cofres encarnados.

Já Lindelof saiu por 35 milhões e gerou um lucro contabilístico de 23 milhões, enquanto Ederson saiu por 40 milhões e gerou um lucro contabilístico de 15,9 milhões. Hélder Costa, por fim, saiu por 15 milhões e o Benfica apurou um lucro contabilístico de 12,9 milhões.

Diga-se ainda que André Gomes, através da transferência do Valencia para o Barcelona, rendeu mais 4,3 milhões de euros, o que somado aos 15 milhões iniciais da saída do Benfica dá um valor total de 19,3 milhões.

Uma última referência para o valor total de vendas brutas de passes de jogadores. De acordo com o Relatório e Contas, o Benfica somou no último ano um total de 156 milhões de euros com transações de atletas, aos quais é necessário subtrair 23 milhões de pagamentos de percentagem de passes a outros clube, 11,6 milhões de comissões com empresários e 925 mil euros de gastos com mecanismo de solidariedade.

Detalhe das maiores vendas do Benfica no último ano:

- Alienação dos direitos de Gonçalo Guedes ao PSG, por 30 milhões de euros, que gerou um ganho de 26 milhões de euros, após dedução de comissões, do efeito da actualização financeira e do valor líquido contabilístico do direito do atleta à data de alienação, no montante global de 3,9 milhões;

- Alienação dos direitos de Lindelof ao Man. United, por 35 milhões de euros, que gerou um ganho de 23 milhões de euros, após dedução comissões, de compromissos com terceiros, de mecanismo de solidariedade, do efeito da actualização financeira e do valor líquido contabilístico do direito do atleta à data de alienação, no montante global de 11,9 milhões;

- Alienação dos direitos de Ederson ao Man. City, por 40 milhões de euros, que gerou um ganho de 15,979 milhões, após dedução de comissões, de compromissos com terceiros, de mecanismo de solidariedade, do efeito da atualização financeira e  do valor líquido contabilístico do direito do atleta à data de alienação, no montante global de 24 milhões

- Alienação dos direitos de Hélder Costa ao Wolverhampton, por 15 milhões de euros, que gerou um ganho de 12,9 milhões, após dedução de comissões e do efeito da actualização financeira

- Exercício do direito de preferência do Deportivo da Corunha pelo montante de 6,5 milhões de euros sobre os direitos que a Benfica SAD detinha sobre Sidnei, que gerou um ganho de 6 milhões, após a dedução do efeito da actualização financeira;

- Recebimento de, 4,320 milhões de euros de componente variável da alienação dos direitos de André Gomes ao Valência, que gerou um ganho de 3,7 milhões, após a dedução de comissões e do efeito da actualização financeira;

- Alienação dos direitos de Marçal ao Lyon, por 4,5 milhões de euros, que gerou um ganho de 3,8 milhões, após dedução do mecanismo de solidariedade, do efeito da actualização financeira e do valor líquido contabilístico do direito do atleta à data de alienação, no montante global de 633 mil euros;

- Alienação dos direitos de inscrição desportiva e de 70% dos direitos económicos do atleta Nélson Oliveira ao Norwich City, pelo montante de 3,5 milhões de euros, que gerou um ganho de 3,3 milhões euros, após dedução do efeito da actualização financeira e do valor líquido contabilístico do direito do atleta à data de alienação, no montante global de 137 mil euros.

Fonte "Mais Futebol"


VIDEO