segunda-feira, 20 de novembro de 2017



O APITO DOURADO (PARTE II)




Quando é que se vai saber o resultado da investigação?



CONSELHO DE ARBITRAGEM PEDIU PROTECÇÃO POLICIAL 
PARA JORGE FERREIRA

O árbitro do jogo P. Ferreira-Benfica estará a ser alvo de pressões e ameaças.



O Conselho de Arbitragem (CA) solicitou aos órgãos dirigentes da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), “como é norma em casos do género”, proteção policial para o árbitro Jorge Ferreira, disse à Lusa fonte oficial.

“Por norma, o CA pede aos órgãos dirigentes federativos que tomem as medidas necessárias para garantir a proteção dos árbitros”, esclareceu a fonte do conselho dirigido por Vítor Pereira.

No entanto, sublinhou, “trata-se de um serviço prestado pela Polícia de Segurança Pública (PSP) e pela Guarda Nacional Republicana (GNR), não envolvendo quaisquer segurança privada”.

O CA fez saber que, “tanto a PSP como a GNR, em casos do género, têm revelado uma disponibilidade impecável na sua atuação”.

O árbitro Jorge Ferreira, da Associação de Futebol de Braga, emitiu um comunicado terça-feira, assinado pelos seus advogados, em que se queixa de intimidação e se diz ameaçado na sequência da presença de elementos da claque Super Dragões, afeta ao FC Porto, no restaurante do seu pai, em Fafe.


O ‘juiz’ foi alvo de muitas críticas desde que assinalou uma grande penalidade a favor do Benfica, sexta-feira, em Paços de Ferreira, da qual resultou o segundo tento ‘encarnado’, que desempatou o encontro (1-3, resultado final), aos 45+2 minutos.