sábado, 25 de novembro de 2017


Justiça passa à lupa ganhos de director do FC Porto



Requerimento pede que sejam passados a pente fino os rendimentos de F. J. Marques.


Noticia do CM

O requerimento deu entrada há dias no Tribunal de Comércio de Gaia e pede que sejam passados a pente fino os rendimentos de Francisco J. Marques, director de comunicação do FC Porto que foi declarado insolvente. 



Na queixa apresentada por uma jurista é alegado que o vencimento declarado de 1000 euros é falso e que a FC Porto SAD paga mais do que isso a Francisco J. Marques. 

Na mesma queixa dá-se como exemplo o facto de João Gabriel, que foi para director comunicação do SLB, ter sido assessor de Jorge Sampaio. 

Logo, teria um ordenado superior. Na denúncia, onde se exige uma investigação à Polícia Judiciária, garante-se que o FC Porto está a usar a conta de terceiros para fazer chegar dinheiro a Francisco J. Marques. 

O CM sabe que no mesmo requerimento, que está ainda nas mãos do juiz para ser decidido, refere-se que o director de comunicação dos azuis e brancos usa cartões de crédito do clube, para pagar as suas contas, pedindo-se a sua imediata apreensão. 

Outro ponto igualmente referido na queixa - que tem mesmo um documento em anexo - tem a ver com a editora que publicou o livro recentemente apresentado: pede-se que todos os direitos de autor sejam confiscados. 

O CM tentou sem êxito contactar Francisco J. Marques que não atendeu o telefone.


 Queixosa é desconhecida  

A ‘queixosa’ que entrou esta semana com um requerimento no tribunal é desconhecida. Diz que é jurista e que conhece a vida de Francisco J. Marques. Não se sabe, porém, se tem ligação a algum clube rival do FC Porto.