domingo, 14 de agosto de 2016

NOTICIAS DO BENFICA

14.AGT.2016 - 11,30 HORAS



FUTEBOL


Tondela-Benfica, 0-2 (crónica)





Horta apareceu e o Benfica colheu os três pontos

O Benfica arranca com uma vitória suada, conseguida perante um Tondela que nunca baixou os braços e que complicou bastante o trabalho do campeão nacional. A vitória encarnada é justa, mas talvez a equipa de Petit não merecesse tamanho castigo (0-2).

Uma bola parada e um lance de génio de André Horta deram forma a uma vitória que só mesmo no final foi confirmada, o que mostra bem o que foi um jogo muito interessante de seguir.



RESUMO DO JOGO (VIDEO)



video


Na ausência de Jonas, Gonçalo Guedes surgiu no apoio a um desinspirado Mitroglou e mostrou que pode ser solução, ainda que não seja... Jonas.

Do outro lado, num plantel que sofreu uma autêntica revolução, era obrigatório que fossem muitas as mudanças efetuadas por Petit, relativamente à equipa-tipo que alinhava na época passada. E foram cinco os reforços com que o técnico tondelense apresentou no primeiro onze: David Bruno, Rafael Amorim, Candé, Fernando Ferreira e Crislan.

Mas a principal surpresa que Petit foi uma mudança de esquema tático, apresentando-se em 4-4-2, distinto do 4-3-3 com que jogou na maior parte da época passada. Com Hélder Tavares e Miguel Cardoso a fecharem os flancos num meio-campo onde Fernando Ferreira e Bruno Monteiro davam músculo, ao meio, os tondelenses limitavam as subidas dos laterais contrários, que tanta influência têm nas movimentações ofensivas da equipa de Rui Vitória.

De olhos nos olhos, avisara Petit


Os primeiros minutos de jogo foram absolutamente frenéticox, com duas oportunidades claras de golo para cada lado, em apenas quatro minutos de jogo. E logo aí, o Tondela mostrava que não se deixava atemorizar por ter do outro lado o tricampeão nacional.

Os jogadores de Petit eram a imagem do que foi o seu treinador enquanto jogador, disputando cada lance com grande intensidade. E foi assim que os tondelenses foram ganhando muitos lances divididos que, depois, possibilitavam saídas rápidas a explorar as costas da defensiva encarnada.

E foi dessa forma que os auriverdes voltaram a estar perto do golo, aos 27 minutos. Miguel Cardoso roubou uma bola a um adversário, ganhou metros em velocidade e cruzou para a entrada de Crislan, que, isolado perante Júlio César, deixo-se antecipar por Grimaldo, que o impediu de dar o toque final.

Depois desse lance, o jogo viveu um período de maior acalmia, onde o maior destaque foi a saída de Luisão, lesionado, entrando para o seu lugar o argentino Lisandro López. A mexida no centro da defesa, que podia ter desconcentrado a equipa, teve, porém o efeito contrário, e o Tondela não voltou a conseguir ganhar as costas da defensiva encarnada.

Além de uma maior consistência defensiva, seria mesmo o camisola 2 a desbloquear a partida, marcando o primeiro golo do Benfica nesta temporada, cabeceando certeiro uma bola que lhe foi endereçada por Pizzi, na cobrança de um livre descaído para a direita do ataque encarnado.

Ainda com cinco minutos para se jogar no primeiro tempo, o intervalo chegaria com a vantagem do Benfica, que só através de uma bola parada conseguiu desmontar a bem organizada estrutura defensiva dos beirões.

Incerteza perdura pela crença auriverde


A segunda parte voltou a trazer um Tondela atrevido, a mostrar, desde cedo, que o Benfica teria de suar para conquistar os primeiros três pontos do campeonato. Só que com o passar do tempo, a maior experiência do Benfica ia-lhe permitindo gerir a partida de forma eficaz, aproveitando também o desgaste do oponente, fruto da intensidade com que o jogo foi sempre disputado.




Com provas dadas de que nunca desiste, o Tondela foi-se mantendo no jogo, aproveitando os rasgos individuais de Miguel Cardoso e de Wagner, que contribuíram para que a incerteza no resultado se mantivesse até ao final.

Mais expostos para procurar o empate, os tondelenses abriam espaços na retaguarda, ainda que, poucas vezes, os encarnados tenham incomodado verdadeiramente Cláudio Ramos. A exceção seria o único lance em que se viu Mitroglou perto do golo, aos 80 minutos, quando o grego respondeu bem a um cruzamento de Gonçalo Guedes, mas viu o seu remate a ser desviado por um defensor contrário.


O jogo seguia incerto para o final quando, já em período de descontos, um último raide encarnado, conduzido por André Horta, terminou com a onda vermelha em ebulição, com um momento brilhante de André Horta. O novo «menino bonito» dos adeptos, arrancou decidido, tirou vários adversários do caminho e só parou quando beijou o símbolo que, mais do que na camisola, lhe está no peito. A forma como festejou o golo mostra o sentimento com que o número 8 sente a camisola. Mas mostra também o quão difícil foi este triunfo, com muito mérito da equipa do Tondela.

Os destaques:


A figura: Pizzi




Depois de ter dado espetáculo na Supertaça, com um golo e uma assistência, o bragantino voltou a ser preponderante no jogo do Benfica. Promovido a capitão após a saída de Luisão, o camisola 21 abriu a porta à vantagem encarnada colocando a bola na cabeça de Lisandro, que inaugurou o marcador, aos 40 minutos. Fez jus à braçadeira, orientando as tropas encarnadas na defesa da vantagem mínima, e saiu esgotado a dois minutos dos 90, escutando os cânticos dos adeptos.

O momento: Horta , com rasgo de brilho acaba com as dúvidas




O jogo caminhava para o final e a incerteza mantinha-se, muito por força da atitude destemida do Tondela. Só que no momento em que o adversário se atirou para a frente para o tudo por tudo, Horta viu terreno livre para correr e, mesmo quando lhe surgiram três adversários pela frente, teve frieza para acabar com as dúvidas, conseguindo uma estreia de sonho no campeonato, com a camisola do «seu» Benfica. Com a emoção, arrancou a camisola e correu para os adeptos. Já refeito da emoção, voltou a vestir a camisola, viu o repetivo cartão amarelo e beijou o símbolo, cerrando os dentes.

Outros destaques:


Grimaldo





Com maiores dificuldades em apoiar o ataque, devido ao posicionamento defensivo do adversário, o espanhol mostrou-se, várias vezes, preponderante a fechar as costas dos centrais. Exemplo disso, surgiu aos 27 minutos, quando fez um corte providencial, num momento em que Crislan tinha tudo para inaugurar o marcador. O ex-Barcelona já mostra um excelente entendimento com Cervi e quase marcou de cabeça (!) após cruzamento do argentino.

Lisandro




Foi chamado ao jogo para substituir Luisão, que saiu lesionado, e, pouco depois, apontou o golo que desbloqueou o marcador, respondendo de cabeça a um livre lateral superiormente levantado por Pizzi. A abrir a segunda parte, deixou escapar Crislan, obrigando Júlio César a fazer uma defesa complicada.

Gonçalo Guedes




Entrou a todo o gás, com vontade de mostrar serviço para tentar agarrar o lugar de Jonas, que vai estar fora dos relvados nas próximas semanas. À semelhança do que aconteceu com a restante equipa, foi perdendo fulgor conforme o Tondela ia colocando o Benfica em sentido, mas voltou a subir de produção após o golo de Lisandro. Na etapa complementar, voltou a ser o primeiro a tentar o golo, com um remate à meia volta que Cláudio Ramos defendeu com dificuldade. Com licença para percorrer toda a linha da frente para criar espaços para Mitroglou, destacou-se ainda por ter «amarelado» dois adversários ainda na primeira parte.

Horta




Parece querer pegar de estaca na equipa do Benfica. É intenso nas disputas de bola, sabe cotrolar os tempos do ataque e tem chegada à área. A forma como marcou o golo, ainda que com o adversário descompensado, é uma boa amostra do que a equipa pode ganhar com a sua inclusão. Está a fazer um arranque de época muito interessante.




>>>>>>>>>O<<<<<<<<<




Luisão substituído com queixas físicas




Luisão foi forçado a abandonar o jogo com o Tondela à passagem do minuto 26, devido a problemas físicos.


O capitão das águias, que se deteve alguns instantes à conversa com os elementos da equipa médica, cedeu o lugar no centro da defesa ao argentino Lisandro López.






>>>>>>>>>O<<<<<<<<<




BOLETIM CLÍNICO


São seis os jogadores fora das opções de Rui Vitória para a primeira jornada da Liga NOS, diante do CD Tondela, marcada para este sábado (20h30).


Jonas - Fratura de osteófito do astrágalo direito. Status pós-cirurgia de remoção do fragmento;


Jardel - Lesão muscular do adutor da coxa direita;


Zivkovic - Traumatismo da perna direita;


Rui Fonte - Traumatismo da face externa do joelho direito;


André Almeida - Status pós-cirurgia a fratura naso-orbitária direita;


Ederson - Status pós-cirurgia a rotura do menisco interno do joelho direito.






>>>>>>>>>O<<<<<<<<<




Juvenis "b"

SL BENFICA VENCE NEXT GENERATION TROPHY




A equipa de Juvenis B conquistou, este sábado, o Next Generation Trophy 2016, depois de vencer o Manchester City por 1-2.

No torneio realizado na Áustria, Gonçalo Oliveira e Iuri Tavares marcaram os golos na partida decisiva, tendo o primeiro sido eleito o melhor marcador do torneio.

Gonçalo Oliveira esteve em grande destaque, com seis golos em cinco jogos.

Durante três dias (11, 12 e 13 de agosto), as jovens águias” defrontaram grandes nomes do futebol. Começaram por vencer o New York Red Bulls por 0-2, na 1ª jornada. Alexandre Penetra e Gonçalo Oliveira marcaram os golos.

Seguiu-se o FC Midtjylland. Vitória por 4-1, com Gonçalo Oliveira mais uma vez em evidência com dois golos. Tiago Araújo e um auto-golo aumentaram a contagem.

Nos quartos de final, os “encarnados” defrontaram e venceram o Sagan Tosu por 2-0. Alexandre Penetra e Francisco Saldanha foram os marcadores de serviço.

No acesso à derradeira partida, o SL Benfica bateu o Valência CF por 3-1, com golos de Gonçalo Oliveira (2) e José Gata.





>>>>>>>>>O<<<<<<<<<



JUNIORES 


ARRANQUE COM TRIUNFO NO RESTELO



Belenenses-SL Benfica, 1-3 

A formação de Juniores do Sport Lisboa e Benfica deslocou-se, na tarde deste sábado, ao reduto do Belenenses e estreou-se no Campeonato Nacional da categoria com uma vitória por 1-3.

Os homens da casa entraram melhor na partida com um golo logo aos 16 minutos através de Alexandre Figueiredo. O Benfica correu atrás do prejuízo e igualou por intermédio de Bruno Lourenço numa grande penalidade aos 27’.

A reviravolta no marcador a favor dos “encarnados” foi completada aos 62 minutos com o autogolo de Tomás Foles.

Ainda antes do fim do encontro as jovens “águias” ampliaram a vantagem por Mesaque Dju e assinaram o resultado final em 1-3.

O Benfica recebe já no próximo dia 17 deste mês a Naval 1.º de Maio pelas 17h00 no Caixa Futebol Campus.




>>>>>>>>>O<<<<<<<<<



DAWIDOWICZ RENOVA E É EMPRESTADO





O médio polaco, Pawel Dawidowicz, renovou com o Sport Lisboa e Benfica por uma época desportiva e foi emprestado à formação alemã do Bochum, onde jogará na temporada 2016/17.



>>>>>>>>>O<<<<<<<<<